Em meio à controvérsia, documentário “O Jardim das Aflições” tem pré-estreia em cinco capitais

/COMUNICAE/

/COMUNICAE/

Em meio à controvérsia, o documentário de longa-metragem “O Jardim das Aflições” tem pré-estreia na quarta-feira, 31/5, com sessões especiais nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba e Porto Alegre. Em seguida, no dia 1 de junho, o filme entra em cartaz no Cine Caixa Belas Artes, em São Paulo, no Cine Odeon, no Rio de Janeiro, e na Rede GNC e Guion Cinemas, do Rio Grande do Sul.

Em São Paulo, o filme será exibido no Shopping Metrô Santa Cruz, às 20h30, em três sessões. Em seguida, haverá debate com o diretor do filme, Josias Teófilo, o produtor, Matheus Bazzo, o ator Roberto Mallet e o analista político Flávio Morgenstern.

Na véspera, 30/5, ocorre sessão especial para a imprensa, às 10h30, no Shopping Cidade São Paulo. Em seguida, a equipe do filme conversará com a imprensa. Jornalistas interessados devem se inscrever pelo e-mail contato@ojardimdasaflicoes.com.br .

A pré-estreia do filme ocorre em meio à controvérsia criada quando, no dia 10 de maio, sete diretores pediram a retirada de suas obras (curtas e longas-metragens) do festival Cine-PE, no Recife. Em nota, afirmaram que faziam isso em protesto contra a escolha, na edição deste ano, de filmes que favorecem “um discurso partidário alinhado à direita conservadora” — especialmente por causa da presença de O Jardim das Aflições, sobre um personagem descrito como “de extrema direita”.

O boicote levou ao adiamento do festival. Na mídia e nas redes sociais, o assunto foi tema de discussão, com a maior parte das opiniões se posicionando contrariamente ao boicote, tido como expressão de dificuldade de lidar com o contraditório. O crítico de música da Folha de São Paulo, André Barcisnski, escreveu: “Sete cineastas brasileiros dão uma aula de patrulhamento ideológico”. A escritora Cora Ronai foi ainda mais dura e se perguntou num post no Facebook sobre o tema: “Que espécie de cineastas são esses que preferem a censura à livre circulação de ideias? ”.

O caso repercutiu inclusive junto a dirigentes da área de cultura. O diretor da Ancine, Sérgio Sá Leitão, e o Ministro da Cultura, Roberto Freire, criticaram duramente a atitude dos cineastas que boicotaram o Cine PE. Até o cineasta Cacá Diegues, criador do termo “patrulhamento ideológico”, escreveu na sua coluna em O Globo: “O que esses rapazes e moças fizeram é uma vergonha para quem deseja se manifestar através da cultura, um território humano que só existe se for exercido em liberdade”.

Para o diretor Josias Teófilo, pernambucano, a retirada dos filmes é o ápice de um processo de boicote da esquerda ao documentário. “Até então a perseguição ao filme vinha sendo velada”, diz. “Mas bastou o documentário ter sido selecionado para um único festival e sete filmes foram retirados da programação”.

A polêmica ocorre por causa do personagem principal de “O Jardim das Aflições. Produzido por Matheus Bazzo, o documentário é um estudo poético sobre um dos intelectuais mais influentes do Brasil contemporâneo: o filósofo Olavo de Carvalho. Desde o início da campanha de financiamento coletivo para produzir o filme, o diretor e sua equipe enfrentaram críticas e tentativas de boicote pela escolha de Carvalho, considerado conservador e conhecido pelas posições críticas à esquerda — notadamente ao PT.

O filme já vinha causando repercussão na mídia, e isso se tornou maior após o boicote. O site Omelete descreveu o filme como “polêmico”, e o UOL. “O Jardim das Aflições” foi destaque também na BBC Brasil e nos jornais Correio de Minas, Diário de Pernambuco e Jornal do Commercio, dentre outros. A recente polêmica criada pela retirada dos filmes também mereceu amplo espaço, em vários órgãos de comunicação.

A polêmica continuou após o documentário pronto. “O Jardim das Aflições” foi rejeitado em todos os demais festivais nos quais foi inscrito, à exceção do Cine PE – decisões nas quais o diretor Josias Teófilo vê um julgamento político, não estético.

“O establishment cultural, dominado pela esquerda, não quer que os brasileiros vejam esse filme”, diz. “Nos festivais brasileiros você só pode ser de esquerda petista, esquerda PSOL ou no máximo esquerda PSDB. Se você for conservador, aí não pode existir diálogo e o filme não pode passar em lugar nenhum. ”

“O Jardim das Aflições” retrata o cotidiano do filósofo em sua casa, na Virgínia. A obra capta a atmosfera de trabalho intelectual, convívio familiar e, principalmente, o seu pensamento filosófico — exposto em momentos distintos da sua rotina, com temas específicos encadeados numa narrativa.

Fotos e vídeos para divulgação estão disponíveis no site http://ojardimdasaflicoes.com.br/imprensa

SERVIÇO
Pré-estreia do documentário de longa-metragem “O Jardim das Aflições”

SÃO PAULO
Dia: 31/5
Horário: 20h30
Local: Shopping Metro Santa Cruz. Domingos de Morais, 2564. Vila Mariana. São Paulo – SP
Debatedores: Josias Teófilo (sessão 1) Matheus Bazzo e Julia Sondermann (sessão 2) e Flavio Morgenstern e Roberto Mallet (sessão 3).

CABINE PARA JORNALISTAS // São Paulo
Data: 30/5
Horário: 10:30
Local: Shopping Cidade São Paulo. Avenida Paulista, 1230. Bela Vista
Cinema: Shopping Cidade São Paulo
Inscrições pelo e-mail contato@ojardimdasaflicoes.com.br

RIO DE JANEIRO
Dia: 31/5
Horário: 20h30
Local: Cine Odeon. Praça Floriano, 7. Centro
Debatedores: Mauro Ventura, Alexandre Borges e Carlos Andreazza

BRASÍLIA
Data: 31 de maio
Local: Cinemark Píer 21. St. de Clubes Esportivos Sul Trecho 2.
Horário: 20h30
Debatedores: Bia Kicis e Felipe Melo

CURITIBA
Data: 31 de maio
Local: Shopping Mueller. Avenida Cândido de Abreu, 127. Centro Cívico, Curitiba
Horário: 20h30
Debatedor: Francisco Escorsim

PORTO ALEGRE
Data: 31 de maio
Local: GNC – Shopping Moinhos de Vento. Rua Olavo Barreto Viana, 36. Moinhos de Vento
Horário: 21h15
Debatedores: Ernildo Stein (sessão 1) e Rafael Falcón (sessão 2)

EM CARTAZ

SÃO PAULO
Dia: 1 de junho
Local: Cine Caixa Belas Artes. R. da Consolação, 2423 – Consolação, São Paulo – SP, 01301-100

RIO DE JANEIRO
Dia: 1 de junho
Local: Cine Odeon. Praça Floriano, 7. Centro

PORTO ALEGRE
Data: 1 de junho
Local 1: GNC – Shopping Moinhos de Vento. Rua Olavo Barreto Viana, 36.
Local 2: Guion Cinemas – Rua General Lima e Silva, 776.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *